Família - Um Dia na Vida Itabirito - MG

Maya e o Plantio da sua Placenta como um Ritual de Batismo

Quando a Maya nasceu, me lembro de conversarmos na sala de parto sobre o destino da placenta e aí Ana Paula, a Poly, como é chamada pela família, manifestou o interesse em congelar a placenta para depois plantá-la na casa da sua mãe. Ela pesquisou sobre esse ritual e ao ver o quão belo ele é resolveu realizar para a Maya. Uma cerimônia simples, apenas para os avós e padrinhos, mas carregada de significado, beleza e amor!


Eles permitiram compartilhar aqui o texto que leram durante a cerimônia para que outras pessoas possam também conhecer sobre esse ritual tão lindo!


"A placenta é um órgão incrivelmente precioso e completo.
Representa as raízes da criança no terreno da mãe.
É feita de dois organismos diferentes e incompatíveis, mas funciona como um único órgão, em completa harmonia.
A placenta faz todas as funções de um corpo humano. É o pulmão, fornecendo à criança o oxigênio e todas as trocas gasosas; é o coração mantendo a circulação entre o bebê e a mãe; é o rim, depurando e regulando os líquidos em seu corpo; é o aparelho digestivo, procurando e fornecendo comida; é a glândula endócrina, produzindo todos os hormônios necessários à manutenção da gravidez e ao crescimento da criança; é o sistema imunológico, fornecendo à criança anticorpos, linfócitos e macrófagos, as grandes células que podem destruir ou construir o tecido; é também a fonte do líquido amniótico e o renova a cada duas horas completamente.
Na África, é considerada a parte espiritual da criança, aquela parte dela que a acompanhou do Céu para a Terra.
No Sudão, a placenta é considerada o espírito gêmeo da criança, e acreditam que ela deverá ser enterrada em um local que representa as expectativas e esperanças dos pais em relação ao filho.
Os aborígenes a usam para fazer colares, para ajudar no crescimento saudável da criança e protegê-la contra doenças.
No Nepal, a placenta é chamada de “bucha-co-salthi”, significando “amiga do bebê”.
No Hawaii, ela é enterrada sob uma árvore, que se torna a árvore sagrada da criança, um lugar que será sempre o seu lugar de proteção, acalento, conexão com sua essência.
No Iêmen, a placenta é deixada sobre o telhado, para que os pássaros a comam, e assim fortalecer o amor entre os pais da criança.
Na América do Norte, a comem em função de restabelecer o útero, ter leite saudável, e prevenir contra depressão pós-parto, e também para equilibrar os hormônios.
Na língua Gabbra, a palavra placenta, “aku”, significa também nesta realidade, parteira, pois as duas são quem permite a chegada do bebê ao plano terrestre.
Na tradição celta, inclui com frequência o plantio de uma árvore, que pode ser fertilizada com a placenta ou com o cordão umbilical, num ritual de escolha de nome chamado “a benção da criança”, ou batismo.
Em algumas religiões africanas, no dia de um nascimento, a placenta e o cordão umbilical são enterrados em um vaso especial chamado “isasum” (que foi previamente pintado por seu pai ou pelo homem mais velho da família nas cores branca, azul e vermelha, com símbolos de ancestralidade), em um ritual chamado “Iwo”, que significa a devolução à mãe Terra da força vital que o criou, como a busca pela fonte de vida. E naquele local, mais tarde, durante sua vida, sairá, daquela terra, um “amuleto” que o protegerá durante toda a sua existência. Estamos usando as cores branca, azul e vermelha para representar a ancestralidade e a família que já foram tão importantes e continuarão sendo por toda a vida da Maya.
Acredita-se que a placenta é o lar do espírito e a conexão direta com o mundo e a criação divina, sendo o canal direto entre o mundo espiritual e o mundo terreno, por onde a alma entra e começa sua jornada.
Após conhecer melhor sobre a placenta e sua importância física e espiritual, resolvemos usá-la para o Batismo da nossa filha, Maya.
Esse ritual hoje tem vários objetivos
- Os celtas usam para o ritual de batismo o enterro da placenta junto a uma árvore. Árvore essa que crescerá e será o amuleto da criança.
Padrinhos são pais e mães espirituais. Aqueles que acompanharão a criança ao longo da vida, que estarão ali na ausência dos pais. Padrinhos tem um compromisso honroso pela frente. O compromisso de ajudar na difícil tarefa da educação dos nossos filhos e assumir essa função na ausência dos pais.
Para a escolha desse papel optamos pelas pessoas mais próximas e que mais nos apoiamos nos momentos de dificuldade. Pessoas que têm valores parecidos aos nossos e que nos conhecem por inteiro. Que na nossa ausência conseguirão transmitir aos nossos filhos quem somos e o que valorizamos.
Foi aí que escolhemos o Breno e a Luara para esse papel tão importante.
Agradecemos a vocês por sempre estarem ao nosso lado. Em todos os momentos! E como forma de agradecer e “dar mais trabalho” resolvemos dar a vocês a missão de serem padrinhos do nosso maior Amor e bem precioso.
E junto de vocês fazermos alguns agradecimentos e depositar energias positivas para a vida da nossa filha.
- Primeiramente agradecer à placenta por ter sido as raízes da Maya no corpo da Poly (agradecer por ter nutrido nossa filha e ter acompanhado seu espírito do Céu até a terra). Maya nasceu prematura com tamanho de um bebê a termo. Não precisou de nenhum suporte para viver. Chegou cheia de saúde! Temos que agradecer todos os dias por ela ter vindo no tempo dela, da forma dela e da melhor forma possível.
- Em segundo lugar colocar todas as nossas energias no desenvolvimento da Maya e toda sua jornada pela vida. A placenta é o lar do espírito, a conexão direta com o mundo e a criação divina. É o canal direto entre o mundo espiritual e o mundo terreno, por onde a alma entra e começa sua jornada.
A jornada da Maya começou dentro da barriga junto à placenta. Para desejarmos a ela um jornada de vida cheia de felicidade, amor, inteligência, e com capacidade de lidar com todas dificuldades e adversidades da vida, decidimos plantar essa placenta.
- Em terceiro lugar: A placenta representa as expectativas e esperanças dos pais em relação ao filho.
Nossas expectativas e esperanças são única e exclusivamente que Maya seja feliz nas suas escolhas e na forma de viver a vida. Não temos expectativas definidas. Só queremos que ela saiba vencer as dificuldades e que saiba cultivar a felicidade e amor.
- Em quarto: enterrar a placenta como uma cerimônia que levará energias para o crescimento saudável e protegida contra doenças.
Como falamos: Em algumas religiões o enterro da placenta é feito como um ritual de batismo. Vamos fazer aqui hoje o ritual “Iwo” que significa a devolução à mãe Terra da força vital que criou nossa filha. E, neste local, nasce o vínculo da Maya com seu padrinho Breno e sua madrinha Luara, que serão seus “amuletos” e irão protegê-la durante toda a sua existência."


Desde que comecei a fotografar histórias de nascimento, a minha admiração por esse órgão tão extraordinário é cada vez maior! Para as mulheres que também cultivam o interesse e admiração por ele, sempre procuro fazer um registro especial da placenta para elas. A da Maya tinha um formato mais especial ainda, o de um coração. E para mim, que a acompanhei desde a gestação, foi uma enorme alegria e uma grande honra terem incluído o meu nome entre as palavras escritas em torno do carimbo de sua placenta como um registro simbólico do seu batismo. Acho que toda a energia próspera e benéfica que a desejo foi ali simbolizada!


Obrigada, Ana e Caio, mais uma vez, pela confiança e carinho! Foi simplesmente maravilhoso e emocionante! Tenho certeza que a Maya foi abraçada e abençoada por toda essa energia vibrante de amor e positividade! 


** Grande parte da pesquisa da Ana para a produção do seu texto pode ser encontrado no site: bebesecologicos.eco.br



{ Você também pode ter um registro assim de sua Família! }

- Clique aqui e venha saber mais! -


família ao acordar no dia do batismo da filha com enterro da placenta
pai e sua bebê se preparando para o banho de chuveiro
casal dando banho de chuveiro na sua bebê em foto de Adriana Costa
casal e sua bebê no banho de chuveiro
bebê amamentando no banho de chuveiro com os seus pais em foto de Adriana Costa
bebê amamenta no banho com seus pais
pai dá o banho no chuveiro na sua bebê enquanto ela amamenta
avó pega a neta para enxugar após o banho
Adriana Costa documentou avó cuidando da sua neta após o banho
bebê começando sustentar a cabeça
mãe amamentando na varanda da casa no dia do batismo
mãe amamentando sua bebê em foto de Adriana Costa
pais escurecem o quarto para sua bebê dormir após amamentar
bebê amamentando
mãe ninando sua bebê para dormir no dia do batismo com enterro da placenta em foto de Adriana Costa
Adriana Costa documentou mãe ninando sua bebê
bebê dormindo relaxada no colo da mãe em foto de Adriana Costa
pai beija sua bebê que dorme no colo da mãe
família chegando para o ritual do enterro da placenta
avó cumprimentando sua neta no dia do batismo
avô fazendo carinho na sua neta que dorme
avó colhendo flores para o ritual do enterro da placenta da sua neta
avó limpa a sua neta na pia
família preparando o ritual de batismo da bebê
pais e padrinhos cuidando da bebê
padrinho com sua afilhada no dia do batismo em foto de Adriana Costa
Adriana Costa documentou a família preparando a cerimônia de batismo da bebê
avó com sua neta
ritual para o enterro da placenta
carimbo da placenta sendo usado no enterro da placenta
família se reúne para o enterro da placenta como um ritual de batismo da sua bebê em foto de Adriana Costa
pais choram emocionados ao lerem o texto que prepararam para o enterro da placenta de sua bebê como um ritual de batismo em foto de Adriana Costa
pais se emocionam com o ritual de batismo da sua filha
padrinhos abençoam sua afilhada no ritual de batismo feito no alto da montanha
padrinhos celebram sua afilhada
mãe abraça emocionada a madrinha de sua filha no ritual de batismo feito no alto da montanha
família se prepara para enterrar a placenta da sua bebê ao lado dos avós e padrinhos
cerimônia de enterro da placenta
enterro da placenta realizado em um lindo ritual no alto da montanha
carimbo da placenta utilizado no ritual do plantio da placenta
madrinha escreve no carimbo da placenta da sua afilhada enquanto os pais enterram a placenta como símbolo de batismo da filha
casal em cerimônia do enterro da placenta da filha em foto de Adriana Costa
família realiza o batismo da filha ao ar livre com enterro da placenta
pais e padrinhos brindam ao batismo da filha
avó brinca com a neta após o batismo
carimbo da placenta como símbolo do seu batismo após o enterro da placenta em um belo ritual