Imagem capa - Ahh... Os famosos
Curiosidades e Notícias

Ahh... Os famosos "verdinhos"!!


QUEM NUNCA TEVE PROBLEMA PARA ENSINAR ÀS CRIANÇAS 

A INTRODUZI-LOS NA ALIMENTAÇÃO? 



Resolvi abordar esse tema porque fotografando famílias, em meio a sua rotina, percebi que essa é uma questão recorrente. Na família da Kalila, por exemplo, que acompanhei por 24 h, a sua filha mais velha é quem oferece essa resistência e ela me permitiu, gentilmente, que ilustrasse esse post com algumas fotos que fiz desse momento.


Sei que algumas crianças não oferecem essa resistência, mas vejo que são poucas! Com as minhas filhas, apenas a mais nova teve essa resistência. Não gostava de verduras e nem de alguns legumes. Os verdes eram os vilões! Nunca desanimei em ensiná-la e quando se tornou adolescente já comia de tudo! 


Como a minha experiência foi positiva, com bons resultados, vou contar aqui algumas coisas que fiz, para quem sabe, possa ajudar a quem esteja nesta busca. Não é nenhuma receita milagrosa, mas a base, com certeza, foi o exemplo, muita paciência e persistência!  Na época, li e estudei muito sobre esse assunto e apliquei o que considerei coerente. Então, aqui vai algumas dicas que funcionaram para a minha família:


- Modificar hábitos é muito difícil! Por isso, se vocês desejam que seus filhos tenham algum hábito que considerem saudável e/ou importante os incentive desde bem novinhos.


- Como odontopediatra aprendi que o paladar é educável. Somente oferecendo variedade a criança irá aprender a apreciar os diversos sabores. E quanto mais cedo começar, mais fácil será! 


- A primeira questão é a criança perceber que comer estes alimentos pode ser prazeroso. Ela só irá perceber isso se observar os seus familiares e se houver oferta. A família é o maior exemplo!


- Nunca deixe de oferecer. Mesmo quando dizem que não gostam!! Eu sempre colocava uma pequena porção no prato da minha filha e quando comia a que estava em meu prato dizia: "humm, que delícia!" ou "nossa, isso está muito bom!" Depois pedia para que ela experimentasse também. O combinado era que ela experimentasse pelo menos uma migalhinha! É fácil? Não!! Muitas vezes demora muito para eles aceitarem e corresponderem. Mas se não persistir, sem a oferta e o incentivo, nunca irá acontecer.


- Outra dica é não fazer alimentos separados para as crianças por não gostarem de comer o que têm à mesa. Isso só irá reforçar para que ela não experimente novos sabores.


- Procure sempre variar os alimentos. Ofereça os vários tipos de frutas, verduras e legumes. Crie receitas diferentes para ampliar as possibilidades.


- Não precisa ser um quartel general. O dia em que ela não quiser comer, não force. Eu apenas dizia: "que pena estava tão gostoso!" Mas... se policie para não oferecer logo em seguida laticínios, pães, bolos, biscoitos ou o velho macarrão. Ela não irá morrer de fome!


- Ter sempre em mente que o mais importante não é a quantidade e sim a qualidade e variedade.


- Evite ter excesso de guloseimas em casa. Quando se tem, as crianças tendem a pedir! E... dizer não, a toda hora, torna-se desgastante!! Agora se não os têm, elas não veem e não se cria o desejo.


- Se vocês, pais, também não gostam de frutas, verduras e/ou legumes sigam a mesma dica. Todo dia coma uma pequena porção. O paladar, com o tempo, irá mudar e quando você menos esperar estará tendo prazer em consumir esses alimentos. Quanto mais variada for a sua alimentação mais o seu paladar estará apto para apreciar novos sabores e texturas e assim, o seu universo irá cada vez mais ampliar.


Hoje as minhas filhas me agradecem, pois podem ir a qualquer lugar sem que passem aperto com a alimentação. Para elas, experimentar novos sabores é um dos prazeres que possuem na vida. 


Ter uma alimentação variada ajuda a ampliar sua visão do mundo, sua cultura e a serem mais saudáveis! 


A vida hoje em dia não deixa muito espaço para os medos e receios. Ensinar as crianças a serem abertos a experimentação os fazem serem mais aptos às adversidades. Esse aprendizado começa nas pequenas coisas da infância, e por incrível que pareça, ensiná-los a serem abertos a experimentação dos sabores e texturas, pequenas portas do início do nosso aprendizado, podem ajudá-los, no futuro, a abrirem outras portas maiores, mais difíceis e importantes. 


São experiências que influenciam novas experiências.